quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Matutina

Matutina

MATUTINA VIA SATÉLITE


MATUTINA, SUA HISTÓRIA E SUA GENTE.

Estudo da história de uma cidade é a satisfação de uma tendência da alma nacional. O passado não só envolve a tradição, como gera o incentivo da ação pela lembrança dos feitos gloriosos de outras gerações, que à distância do tempo perdem as asperidades e imperfeições. È uma narração sujeita a crítica por omissão de nomes ou detalhes, quase sempre insignificantes, realizados por governantes quase sempre marotos e por pessoas quase sempre saudosistas como é o caso da maioria das pessoas residentes em Matutina.

HINO À MATUTINA

Meu amigo vamos lá
faz a mala e pegue a estrada
pense naquela menina e vamos
pra Matutina

Passa a serra da saudade
Passa Patos, São Gotardo
Deixa pra trás o asfalto
Que a gente vai voltar

Pois aqui que a vida é boa
aqui o tempo não passou
Ela é uma terra menina
minha querida Matutina

Vai deixando de mansinho
A saudade aperta
vai olhando na janela
As folhagens do araçá

Vai medindo, palmo a palmo
Cada ponte do caminho
Cada curva da estrada
Que a gente vai voltar

Desce na primeira esquina
pede uma pro vendeiro
alegra-se companheiro
Já chegamos em Matutina.

IDENTIFICAÇÃO DE MATUTINA

Região do Alto Paranaíba
Microrregião de Patos de Minas
DDD: 034
CEP: 38 870 000

Localização:
Área: 259,7 Km2
Altitude: 1.149 m
Temperatura média anual: 22ºC

Distância da capital - BH - 306 Km

População

Mulheres ------------- 2.368
Homens ------------- 1.390
Urbana (Total) ------ 3.758

63,01% Hab. / Km2
Transporte: Estação Rodoviária
Linhas de Ônibus:
São Gotardo
Tiros
Belo Horizonte

Economia:
Agricultura: Café
Pecuária: leite
Laticínios Abaeté
Laticínio Melo
Laticínios Nutrileite

HISTÓRIA

Em época incerta, possivelmente lá por volta de 1850, por ignoradas razões, uma prolífera família se estabeleceu no local, onde mais tarde, surgiu o povoado.

Constituído por vários irmãos, ateiaram-se estes ao trabalho formando vastas fazendas, e por isso a tradição conservou o nome de: João Pimenta, Sebastião Pimenta, Serafim Pimenta, Pedro Pimenta. Estabelecendo, o nome dessa família o primeiro topônimo - “Pimentas”.

Segundo o relato, o então arraial dos Pimentas teria surgido pela ereção de um “Cruzeiro” em madeira de balsamo-nativo da região, eqüidistantes das diversas fazendas dos irmãos; realmente, a tradição confirma terem surgido as primeiras casas em torno desse cruzeiro.

Com a ereção da “cruz”, foram doados cinco litros de terreno, a nossa senhora da Abadia por Pedro Pimentas - segundo dizem, ele era seu devoto, porém por iniciativa dos primeiros moradores, foi adquiridos mais quinze litros de terreno ao preço de cada litro no valor de dois mil réis. Ficando assim a Paróquia de Nossa Senhora da Abadia com uma área de vinte litros de terreno. Neste período a maior produção era de “coco”vindo do Coqueiro ou melhor macaúba, fruto amarelo - pálido e aroma agradável e muito saboroso, que também oferecia o óleo, a castanha e o adubo. A tarefa de catar o coco cabia as crianças, que desde cedo, conheciam o doce sabor de trabalhar.

CRIAÇÃO DA PAROQUIA DE MATUTINA

A primeira idéia de criação da Paróquia foi lançada aos 29 de junho de 1944, pelo Rev.mo Sr. Firmino, mostrando assim a necessidade de criação desta paróquia para a população de Matutina, neste período Pimentas. As missas eram celebradas em uma pequena capelinha, que ficava, no meio do povoado, mais tarde transformada em uma farmácia do Sr. Sizenando Morato. O início da construção da igreja se deu graças ao dinheiro referente à bolsa das vocações, esta importância, foi enviada no ano de 1936, com a conclusão da obra da grande Matriz, no ano de 1951, decidiram demolir a capelinha no ano de 1952, mais precisamente em maio.

Em agosto de 1922, ainda na pequena capela Pimentas recebe a visita de sua Excelência Dom Manoel Nunes Coelho, primeiro Bispo da Diocese de Luz do Aterrano-MG.

Por sua sugestão, foi criado a conferência vicentina e confraria das mães Cristãs com a seguinte Diretoria.

Presidente - Agenora Nascimento
Vice-presidente - Maria Lucinda de Jesus
Secretária - Maria Alves Dias
Tesoureiro - Maria Antonia de JesusConselheiras - Bernada Bernadina, Alice de Jesus e Rita Leopoldina de Jesus Nesta mesma data foram crismadas 532 pessoas, 300 confissões e 500 comunhões.

Desmembrada da Paróquia de São Sebastião da cidade de São Gotardo, seu primeiro Pároco foi o Reverendíssimo Senhor Cônego José Círilo Pacheco.
No dia 24 de maio de 1954 chegou a esta cidade vindo de Santa Rosa a imagem da Virgem de Fátima, com grande festa. As ruas foram enfeitadas, fogos e passeatas de veículos.

Párocos de Matutina

17/03/1940 à 06/05/1945 - Mons. Omar Nunes Coelho
06/05/1945 à 30/08/1945 - Padre José Tavares de Morais
30/08/1945 à 14/08/1960 - Padre José Círilo Pacheco
15/08/1960 à 24/01/1964 - Padre Levy Lopes Araújo
02/02/1964 à 31/10/1966 - Padre José Círilo Pacheco
06/02/1966 à 08/01/1967 - Padre Luís Fernando Prados
04/05/1967 à 06/08/1967 - Padre Frederico
15/01/1967 à 30/04/1967 - Padre José Lima
28/10/1967 à 18/03/1973 - Padre Walter José Rodrigues
15/04/1973 à 07/10/1973 - Mons. Eustáquio Afonso Souza
02/02/1973 à 05/11/1978 - Padre José Círilo Pacheco
19/11/1978 à 18/11/1979 - Mons. Eustáquio Afonso Souza
02/12/1979 à 09/09/1984 - Padre Jorge Correia
07/10/1984 à 30/06/1985 - Padre Antônio Vieira Barbosa
07/06/1985 à 21/09/1985 - Padre Jorge Correia
02/02/1985 à 30/06/1986 - Padre José Orlando Siqueira
21/09/1985 à 04/01/1986 - Padre José Ferreira da Silva
13/07/1986 à 10/08/1987 - Padre Jorge Correia
06/08/1987 à 08/08/1993 - Padre Ângelo José do Amaral
08/08/1993 à 06/02/1996 - Mons. Olavo Jacinto e Pe. Manoel João Batista
07/02/1996 à 30/07/1999 - Padre Joel Bernardes Macedo

A Paróquia passa a fazer parte da Diocese de Patos - MG
30/07/1999 à 07/04/2002 - Padre Olivar Constantino Peres
07/04/2002 à 07/11/2005 – Padre Ronaldo Alves Ferreira
07/11/2005 á 28/04/2006 – Mons. Vanderly Francisco de Souza
28/04/2006 até - Padre Valdinei Batista Pinheiro
Presente – Padre Rogério

Dos festejos populares o mais característico, é o da Folia dos Reis, por ocasião das festas de Natal. Ano Bom, terminando a 6 de janeiro; consiste em passe; de grupos de cantores pelas propriedades urbanas e rurais angariando esmolas para cofres religiosos, vivendo, os grupos, enquanto dura a passeata que é ininterrupta, dia e noite, de 25 de dezembro a 6 de janeiro, a expensas das esmolas conseguidas. Do grupo, apenas um figurante, denominado “palhaço”, se vete a caráter, com roupas vermelhas, enfeitadas de miçangas e espelhos, o rosto coberto por máscara de couro cru, um capacete vermelho e um longo bastão de madeira adornado de fitas coloridas e guizos. Outra característica curiosa é que todos os elementos, embora com roupas comuns, trazem em volta do pescoço uma toalha branca, quase sempre bordada de vermelho. Os instrumentos comuns são a rebeca, a viola, a caixa e o reco recos. As esmolas obtidas vão desde um cafezinho aos músicos e ao palhaço até a doação de bois, leite, dúzias de galinha, etc, tudo isto transformado pelos foliões em banquete aberto a todo o povo das imediações, no Dia de Reis. As autoridades civis permitem esses festejos que contudo encontram alguma resistência por parte do clero.

FORMAÇÃO ADMINISTRATIVA

PRIMEIRA CÂMARA - 1954

PREFEITO:
Sinval Morais de Oliveira

VEREADORES:

Wilson Bueno (Zinho Bueno)
Lázaro José Ferreira (Zizi)
Sizenando Morato
Raimundo Alves da Silva
Raimundo Flávio Rodrigues
Nestor Martins Amaral
Raimundo Rodrigues de Faria
Omar Carneiro

SEGUNDA CÂMARA - 1958
PREFEITO:

José Londe de Melo

VEREADORES:

José Ribeiro da Silva
Nestor Martins Amaral
Osvaldo Rodrigues
Raimundo Alves da Silva
Wander Bueno de Melo
Arlindo Souza Mendes
João dos Santos
Osvaldo Morais de Oliveira
Mozart José Rodrigues
Geraldo Martins

TERCEIRA CÂMARA - 1962

PREFEITO:
Sinval Morais de Oliveira

VEREADORES:

Raimundo Alves da Silva
Arlindo Souza Mendes
Wander Bueno de Melo
Geraldo Paiva
Nestor Martins Amaral
José Ribeiro da Silva
Osvaldo Morais de Oliveira
Geraldo Martins
João dos Santos

QUARTA CÂMARA - 1966

PREFEITO:
Raimundo Alves da Silva

VEREADORES:

Geraldo Martins
Sebastião José dos Santos
Raimundo Martins do Nascimento
José Flávio da Silva
Omar Carneiro
Moacir Martins Abreu
José Orivam Rodrigues
Afonso Martins da Silva

QUINTA CÂMARA - 1970
PREFEITO:

Sinval Morais de Oliveira

VEREADORES:

Omar Carneiro
Jair Morais de Oliveira
Juvenal Fonseca
Jose da Glória
José Maria Ribeiro
Osvaldo Londe de Melo
Sebastião José dos Santos
João Fausto Pacheco

SEXTA CÂMARA - 1974

PREFEITO:

José Ribeiro Silva

VEREADORES:

José Rocha de Oliveira
José Ferreira Londe
José Martins Franco
José Maria Ribeiro
Mozart Rodrigues
Paulo Morato
José Pedro Teixeira
Adélio Garcia da Silva
Lázaro Lopes Martins

SÉTIMA CÂMARA - 1976

PREFEITO:

Raimundo Alves da Silva

VEREADORES:

Jairton Fonte Boa
Ivan José de Almeida
José Londe Filho
João Evangelista de Oliveira
Adélio Garcia da Silva
José de Morais Pessoa
Lázaro Lopes Martins
José Ferreira Londe

OITAVA CÂMARA - 1980

PREFEITO:

Sinval Morais de Oliveira

VEREADORES:

Walquírio Bueno de Melo
José Pedro Teixeira
Pedro Martins Xavier
Mozart José Rodrigues
Ilton Pessoa Londe
José Alves Neto
José Maria Amaral
Otacílio Pessoa
Francisco Balduino

NONA CÂMARA - 1984

PREFEITO:

Antônio Flávio Rodrigues

VEREADORES:

Walter Bueno de Melo
Otacílio Pessoa
Francisco Balduino
Ely Carlos da Glória
Elienes José Alves
Benedito Moreira Pessoa
Dr. Fernando Rodrigues Franco
Sizenando Eustáquio Franco
Mário Eustáquio da Silva

DÉCIMA CÂMARA - 1988

PREFEITO:

Dr. Fernando Rodrigues Franco

VEREADORES:

João Pacífico Filho
Geraldo Magela Rosa
Nadir Ferreira Rocha
Maria das Graças de Oliveira
João Bosco Ferreira
César Silvério de Melo
Orivan Martins
Mário Eustáquio da Silva

DÉCIMA PRIMEIRA CÂMARA - 1992

PREFEITO:

Antônio Flávio Rodrigues

VICE-PREFEITO:

Dr. Marco Antônio Ribeiro de Castro

VEREADORES:

Nívea Ângela Rodrigues
Alaor Eulálio de Melo
Walquírio Olavo de Melo
Aparecido Isael de Oliveira
Jadiel Rodrigues
José Maria da Silva
Adélio Eustáquio de Oliveira
César Silvério de Melo
José Pacífico Sobrinho

DÉCIMA SEGUNDA CÂMARA - 1996

PREFEITO:

Marco Antônio Ribeiro de Castro

VICE-PREFEITO:

Raimundo Alves da Silva

VEREADORES:

César Silvério de Melo
Walquírio Olavo de Melo
Lázaro Neves Paulino
José Maria da Silva
Ibraim Alves de Castro
Geraldo Magela Rosa
Cleuza Londe Vargas
Wilma Maria Londes Rodrigues
João Maria de Souza

DÉCIMA TERCEIRA CÂMARA – 2001

PREFEITO:
José Hironilton Lopes

VICE-PREFEITO:
Fernando Rodrigues Franco

VEREADORES:
Cleusa Londe de Lima Vargas
Wilma Maria Londes Rodrigues
Lázaro Neves Paulino
Walquirio Olavo de Melo
Ibraim Alves de Castro
César Silvério de Melo
Sebastião Lourenço
Joaquim Luiz de Souza
José Pedro de Oliveira

DÉCIMA QUARTA CÂMARA – 2004

PREFEITO:
Eduardo Lúcio Silva

VICE-PREFEITO:
José Pacífico Sobrinho

VEREADORES:
Adilson Eustáquio da Silva
César Silvério de Melo
Cleusa Londe de Lima Vargas
João Pacífico Filho
José Pedro de Oliveira
Maria Luiza Silva
Maria Regina Rodrigues
Sebastião de Souza Silva
Sebastião Lourenço

Primeira Reunião da Câmara aos 21 dias do mês de fevereiro de 1955, com o pagamento do primeiro imposto no valor de CR$858,50 pelo Sr. José Firmino de Morais.

PRIMEIROS FUNCIONÁRIOS DA PREFEITURA:

PREFEITO: Sinval Morais de Oliveira

CHEFE DO SERVIÇO DA FAZENDA: João Martins de Azevedo Xavier
SECRETÁRIO: Amado Rocha Filgueiras (Fiaquinho)
FISCAL: Sr. Dercílio Gonçalves de Almeida
FISCAL DO SERVIÇO: José Fabio da silva

O primeiro serviço prestado pelos funcionários foi à transferência dos lançamentos da prefeitura de São Gotardo para Matutina.

EVENTOS QUE CONTRIBUIRAM NA HISTÓRIA DE MATUTINA

FESTEJOS PELA EMANCIPAÇÃO DA CIDADE:

Deu-se no dia 10 de janeiro de 1954, com Missa em Ação de Graças, celebrada pelo Padre José Cirilo Pacheco e demais Padres das cidades vizinhas. Pela lei nº 1039 de 12 de dezembro de 1953 ficou o distrito de Matutina independente de São Gotardo.

FUTEBOL:

Para realização desse esporte, o fazendeiro João Sebastião de Camargos, cedeu parte de terreno de brejo. Apesar de haver jogos somente em épocas de estiagem devido a grande quantidade de água que minava no campo, havia um grande time, cheio de garra. Assim era formado: Zezé Fidelis, Neném Ferreira, Juquinha Mélia, Júlio Londe, Zeca Pessoa, Nelson, Bernardinho Ferreira, Antônio Primo, Zizico, Joãozinho, Sório, Juca Dona, Nego da Chiquinha e Zé Leitinho.

ARTESANATO:

Bordado, pintura a óleo e culinária.

NA PROFISSÃO DE CELEIRO:

José Firmino de Morais (José Mélia) viveu 103 anos, nasceu em 08/11/1884 e faleceu em 12/01/1988.
Seus seguidores:
Seu filho: José Morais de Oliveira
Juquinha Mélia
Joanas Morais de Oliveira
João Morais da Silva
Lázaro Ferreira Silva, vulgo “Biquita”.

TAXI:

Ou melhor carro de praça - com seu Ford Bigode e depois renovado por Ford-guarda Louça, foi o Garimpeiro Aurélio da Silva Rocha.

ÔNIBUS:

NA LINHA - São Gotardo/Pimentas/Espinha/Tiros, que era conhecido por: “Jardineira” e foram seus profissionais que prestaram seus serviços a toda essa população: João Rosa (João Doido), Domício, Flozino, Cachapa, Divino Cristino, João Branquinho, Geraldo Romeiro e Geraldo Magela.

AUTOMÓVEL:
O primeiro veículo foi de propriedade de Pedro Garcia - Ford Bigode, Modelo 28.

MOTORISTA PROFISSIONAL E MECÂNICO:
João Londe Filho, possuidor do primeiro caminhão - marca internacional.

TRATOR:
O primeiro foi adquirido pela Prefeitura na Administração do Prefeito Raimundo Alves da Silva, seu primeiro serviço foi à abertura da Rua Marechal Deodoro, como tratorista Jaime Alves da Silva.

BARES:
Com bilhares e com jogo “biriba” João Alceu Duarte, Dercílio Gonçalves de Almeida e José Maria Fidelis.

SORVETERIA:
Moisés Garcia Pereira

PADARIA:
Moisés Garcia Pereira, Raimundo Virgulino, Alexandre e José Cezário.

CACHAÇA E RAPADURA:
A famosa pinga Martinzana, fabricada por José Martins de Azevedo Xavier, depois pelo filho Antonio Martins de Azevedo Xavier. Também a pinga João Alves, fabricada por João Inocêncio Alves.

FERREIRO NA BIGORNA:
Zacarias Gonçalves de Almeida, José Leite, Manoel Redondo Silva de Oliveira e Agnaldo Alves Barcelos.

BARBEIROS:
João Batista, Francisco Freires e José Paulo Salomão.

PEDREIROS:
Antônio Cândido, João Mateus filho, Raimundo Martins e João de Oliveira.

CARPINTEIROS:
Marinho Dias Bibiano, José Matias Pimenta, Manoel Martins Pimenta, Otávio Resende e Elias Machado.

AÇOUGUE:
José Itelvino dos Santos.

RÁDIO AMADOR:
Wilson Bueno - Py 4 VI, Anísio Paulino da Silva - Py 4 BEV e José Sebastião de Camargo.

CORREIOS E TELÉGRAFOS:
Indo uma vez por semana em São Gotardo, ora de pé, ora em um velho burro, Antonio Mateus, conhecido por Nenên Mateus e José Fortuoso, buscava e distribuía com uma presteza sem par as correspondências e finalmente a 25 de março de 1975, foi inaugurado o serviço de Correios e Telégrafos.

POSTO DE COMBUSTÍVEIS:
“Atlantic”- em 1960, proprietário - Paulo Morato.

DELEGADOS:
João Mateus, Antonio Fidelis Filho e Jucão Lopes.

FARMÁCIA:
Francisco Leal Marondola, José Georgenes Fonte Boa, Olímpio do Couto, Sizenando Morato, Juvenal Fonseca.

DENTISTAS:
Odon Ayalla e João Batista.

COMÉRCIO DE TECIDOS:
Evaristo Alves, Moisés Garcia, João Martins de Azevedo Xavier, Bernadino Ferreira de Melo e Elizeu Resende.

MEDICINA VETERINÁRIA:
Primeiro médico veterinário - João Orlando de Camargos.

MÉDICOS:
Dr. Eloy Câmara Dutra, que sempre dizia: “enquanto vida tiver o farmacêutico Sizenando Morato, o médico que vier exercer sua profissão em Matutina por certo, passará fome, considerando sua sabedoria, sua presteza, sua bondade e de sua grande capacidade que é o excelente profissional Só Zico”.
Dr. José Pessoa.

APARELHO DE TV PRETO E BRANCO MARCA COLORADO:
Elias Pessoa - primeiro programa assistido foi uma partida de futebol em 1965 às 16:30 horas.

APARELHO DE TV A CORES:
Maria Idalina de Resende Bueno - Escrivã do Cartório de Paz.

PRIMEIRO TABELIÃO:
José Alves Rodrigues (Juca Flávio).

CERTIDÃO DE ÓBITO:
Foi extraída para o finado Dorvalino Rodrigues, filho de Francisco Rodrigues da Silva (Tico) e Maria Firmina de Jesus.

ESCRITURA:
Foi lavrada em 14 de junho de 1944, como vendedores: Aristides Gomes do Carmo e Salvina Maria de Jesus, como comprador: Antonio Batista de Araújo, trata-se de um terreno residencial medindo mais ou menos três litros, no valor de quatro mil cruzeiros.

CERTIDÃO DE CASAMENTO:
No dia 08 de julho de 1944, para José Martins Ferreira “Zezé do Inhozinho” e Elza de Melo. Ele filho de Francisco Martins Xavier “Inhozinho” e Raymunda Martins da Conceição. Ela filha de Sebastião Martins de Azevedo, conhecido por Dico Dona e Maria José de Melo, também conhecida por Fiinha do Dico Dona.

CERTIDÃO DE NASCIMENTO:
A número “um” foi para Alzira Lopes, filha de Augustinho Lopes e de Amélia Maria Lopes, no dia 09 de julho de 1944.

CASAMENTO RELIGIOSO:
O primeiro casal a unir-se pelo matrimônio, na nova Matriz, foi Antonio Rosa Filho e Geralda Francisca de Souza no dia 19 de dezembro de 1948.

MISSA NA NOVA MATRIZ:
31 de outubro de 1948, pelo Padre José Cirilo Pacheco.

PRIMEIRA ENCOMENDAÇÃO FEITA NA NOVA MATRIZ:
Foi celebrada para José Pedro da Silva, conhecido por José Lulato, realizada no dia 18 de novembro de 1948.

MISSA EM PORTUGUES:
Foi celebrada no dia 06 de setembro de 1964, cuja missa foi de 7º dia pelo descanso eterno de João Miguel da Luz (João Januário).

CEMITÉRIO:
Em 28 de julho de 1939, foi benta a pedra fundamental, sob a direção de José Avelino Teixeira, conhecido por José Pedro Dimas, cuja obra foi concluída no mesmo ano e benta pelo Reverendíssimo Padre Omar Nunes Coelho.

PRIMEIRO CORPO SEPULTADO:
Rosa Naitriz de Resende, filha do casal Otávio Resende e da Professora Ana Rocha, viveu somente 2 meses e 24 dias, morrendo de coqueluche.

COLETURIA ESTADUAL EM MATUTINA:
Inaugurada em 04 de agosto de 1954, tomou posse Jaci Abreu. Em 06 de agosto de 1954 iniciou à arrecadação, sendo o primeiro objeto, 450 sacos de feijão, talão nº 441501 e conhecimento nº 585301, sendo o comprador - Olímpio Alves, comerciante de Araxá e o valor da guia foi de CR$2.653,00.

TELEFONE EM MATUTINA:
A ligação da primeira linha telefônica entre São Gotardo e Matutina, foi feita por conta da Telefônica de São Gotardo. O primeiro a usar os serviços, foi o Sr. João Martins de Azevedo Xavier em 18 de março de 1964. Linha para Tiros em 1966 e o primeiro a usar o serviço foi Sizenando Morato. A instalação do posto Telefônico foi em 24 de setembro de 1965, criada sob a presidência de Anísio Paulino, foi adquiridas uma mesa com capacidade para 200 aparelhos.

CINEMA MATUTINA:
A primeira casa foi de propriedade de Jose Paulino Filho e o operador técnico era o seu filho Anísio Paulino da Silva, a primeira fita exibida foi Tarzan e as Amazonas da RKO e o segundo filme após o melhoramento, foi exibida a fita “Casa de Bambu da FOX, tudo isso no ano de 1954”.

TORRES REPETIDORAS DE IMÁGENS E DE SONS DE TVs:
Fabricante, Anísio Paulino da Silva -” Matutinense nascido em 05 de junho de 1931”.

A MENOR USINA HIDRO-ELÉTRICA DO BRASIL - MATUTINA:
Para que os matutinenses pudessem receber uma mais que perfeita imagem de TV, Anísio Paulino da Silva, fabricou e instalou uma torre com uma repetidora de imagens, no alto da fazenda “Rapadura”, a 4 KM de Matutina. Lá foi colocada uma bateria, porém apareceram as primeiras dificuldades de carga e recarga da mesma e para sanar o problema decidiu o técnico a construir uma linha de transmissão elétrica até Matutina, com o objetivo de interligar a energia da CEMIG.
Entretanto para sua decepção não permitiram a interligação em sua rede elétrica. Anísio Paulino, não se preocupou, construiu uma micro usina-elétrica, movida pelas poucas águas da antiga instalação da ex-usina de Moisés Garcia.
Para tanto, serviu-se de uma peça de automóvel “um alternador marca Bosh”, adquirido em um ferro velho. Funcionou noite e dia, cerca de quase dez anos, até que um dia, um alto funcionário da CEMIG, visitando as obras da Micro-usina e sabendo que, de quando em vez a mesma sofria algumas paralisações, em virtude de uma meia dúzia de galinhas que ciscavam próximo ao leito d’agua, e com isso alguns ramos entupiam a canalização, fazendo com que o gerador parasse, a luz na torre faltava, a bateria descarregava e as imagens dos televisores sumiam. “Moral”- as orelhas do técnico e de sua mãe querida envermelhavam-se.
Diante do exposto, a CEMIG autorizou a interligação com a sua rede e assim foi desativada a menor usina-hiro-elétrica do Brasil.

ALTO FALANTE DA MATRIZ:
Dia 28 de maio de 1954, foi inaugurado o alto falante, podendo de ora em diante ouvir terço e sermão de 8 km de distância.

AGUA EM MATUTINA:
Dia 09 de novembro de 1950, às 15 horas, jorou água em nossas torneiras pela primeira vez. Em 15 de junho de 1979 o abastecimento de água passou a ser pela COPASA.

CONSTRUÇÃO DO HOSPITAL:
O prédio do hospital que hoje está beneficiando toda população, surgiu da seguinte maneira: Foi feita uma campanha para construir um abrigo para idosos, campanha feita pelas seguintes pessoas, “Geniz Francisco de Assis, Jair Morais de Oliveira, João Batista de Almeida, Agnaldo Alves Barcelos e Arnaldo Ferreira Mendes”.
Estes senhores andaram vários dias pelas fazendas vizinhas e arrecadou-se dinheiro, compraram um lote e ganharam outro do Sr. Sizenando Morato. Após a obra iniciada, o prefeito Raimundo Alves da Silva, transformou a obra em hospital.

AS PRIMEIRAS PROFESSORAS DE MATUTINA:
No lugar chamado Olaria, Ilda Araújo.
No nosso povoado, Prof. Elza Carneiro, o primeiro que saiu de Matutina preparado por ela foi o menino José Morato (1949), filho de Sizenando Morato e Êga Morato, hoje formado em Direito.

PRAÇA DA MATRIZ:
Aos 30 dias do mês de abril de 1979, foi destruída a praça sob promessa de construção de outra.

INAUGURAÇÃO DA AGÊNCIA DE CORREIOS E TELÉGRAFOS:
25 de março de 1975.

POSTO DE SAÚDE:
29 de janeiro de 1983. Primeiros funcionários; Maria das Graças, Donizete Galvão e Vânia Alves.

6 comentários:

  1. POdem perguntar qualquer coisa sobre matutina...

    ResponderExcluir
  2. quantos anos tem 'MATUTINA''RAFAEL

    ResponderExcluir
  3. Rafael como faco para entrar em contato com voce? Telefone ou email por favor.

    ResponderExcluir
  4. Rafael como faco para entrar em contato com voce? Telefone ou email por favor.

    ResponderExcluir
  5. OI RAFAEL BOA TARDE TUDO BEM? EU SOU MILTON CÉSAR GARCIA FILHO DA NOSSA QUERIDA MATUTINA .... ESTOU A PROCURA DE ALGUM RELATO, HISTÓRIA, LIVRO, ALGUÉM QUE ESCREVEU .... SOBRE A USINA DO TIO MOISÉS, A BANDA DOS PSICODÉLICOS E SOBRE UMA SUPOSTO AGUA SULFUROSA NO BEBEDOURO,E OUTRAS COISAS DE MATUTINA ... VC JÁ LEU OU SABE DE ALGUMA COISA SOBRE ISSO ... DESDE JÁ OBRIGADO PELA SUA ATENÇÃO .... MEU WHATSAPP É 34 9 9813 1745 OU AQUI DA FARMÁCIA 034 3674 1145

    ResponderExcluir